Penultima vivência II

de dia era rodrigo
de noite cinematográfico
era só leão.
lido, longe
ficam mais os dedos
que as memórias.

e vozes
e dias atrozes
embalado para onde eu fosse
eu ia!,
aceitando mais a noite
que o dia.

de dia, eira
logo depois
lago sem beira,
braço longo
Casca boa para
encobrir
cerimônias.

assim um choro
aqui
já de noite
onde agora eu moro,
ou um coral,
rumor de risos e encantamentos pés descalços
e aranhas gordas,
lá fora a geada
anuncia a monção
aqui dentro
entre o que é rodrigo
e o que for leão
chegou

por sónias e rosas
um sopro de verão.

quero um sonho amarelo
– fosse trigo,
quero do feio
o que for belo,
e quero
– porque sim

a tua música sempre simples sempre só
sempre o mais possível
assim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s